top of page
  • Foto do escritorRevista Spia

Especial 30 anos do Manguebeat

Atualizado: 30 de set. de 2022


Imagem/ Reprodução: Google

Em 1990, de acordo com o Population Crisis Commitee, Instituto de Washington D.C, Recife foi considerada a 4ª pior cidade do mundo para se viver. Na época, Recife vivenciava um declínio econômico. Inconformados com a situação socioeconômica em que se encontravam, jovens pernambucanos promoveram uma revolução cultural a partir do Movimento Manguebeat, que misturava a cultura tradicional com a moderna, com sua diversidade sonora, simbolizada pela parabólica que está o tempo todo captando as mais diferentes referências. “Emergência! Um choque rápido ou o Recife morre de infarto!”, “Como devolver o ânimo, deslobotomizar e recarregar as baterias da cidade? Simples! Basta injetar um pouco de energia na lama e estimular o que ainda resta de fertilidade nas veias do Recife”. Assim se estabelecia o movimento manguebeat, através do manifesto "Caranguejos com Cérebro” de 1992 pelo vocalista do Mundo Livre S/A, Fred Zero Quatro. O movimento mais tarde se tornaria um dos grandes acontecimentos da música brasileira da década.

Em comemoração aos 30 anos de Manguebeat, a SPIA produziu um especial para comemorar junto com vocês esse movimento que ainda ecoa pelas ruas e traz estima aos pernambucanos.

Em nossa sessão de entrevistas, Nayara Nascimento conversa de uma forma descontraída com dois nomes super importantes para a cena manguebeat; Roger de Renor, produtor cultural e dono do Bar Soparia, local que foi fundamental para a consolidação do manguebeat e Paulo André Moraes Pires, produtor de Chico Science e Nação Zumbi e criador do festival Abril Pro Rock. Na entrevista, relatam suas experiências, assim como o que esperam para o futuro da cena.

No Vídeo-ensaio “Uma cena em cima da lama”, Maria Clara Mendes e Sammy, utilizam de recortes de entrevistas, documentários, shows e clipes, trazendo um pouco da cena Mangue por meio da visão dos próprios mangueboys.

No podcast PodSpiar: Especial Manguebeat, Henrique, Ceres Maria e Daniel Nascimento trazem com muita leveza, uma série de episódios com diversos convidados que tiveram vivências no Mangue e que foram importantes para o movimento.


Em “Manguefonia”, Mariana Gonçalves traz seu relato sobre o show em celebração aos 30 anos de manguebeat no 30º Festival de Inverno de Garanhuns. O projeto com concepção e direção de Jorge Du Peixe e Dengue, membros do Nação Zumbi, teve sua estréia pernambucana balançando a Praça Dominguinhos. e como bônus, uma playlist super especial com as músicas que rolaram no show.


Em Uma Música Cascabulho, Maria Clara Mendes traça um perfil do Cascabulho a partir de uma entrevista com Magrão, vocalista do grupo. Trazendo um olhar sobre o surgimento da banda, a relação com o Mangue e a influência de Jackson do Pandeiro.




Abra a mente e os ouvidos e boa viagem.

182 visualizações0 comentário
bottom of page