top of page
  • Foto do escritorRevista Spia

"Ao som dos clarins de momo"

Atualizado: 23 de dez. de 2021

Montamos uma playlist de Carnaval e já vamos avisando: a saudade vai bater forte.


Se o mundo estivesse em seu curso normal, nessa semana os carnavalescos de plantão estariam se preparando para a melhor festa do ano. Dessa vez a folia vai ser em casa, mas para aqueles que quiserem matar a saudade a Spia tem uma solução: preparamos uma playlist especial cheia de sucessos que vão fazer qualquer um se sentir dentro do melhor carnaval do mundo.

Sim! Não foi fácil fazer essa playlist. Cada música que a gente escutava a saudade batia bem forte. Dessas, uma é especial para cada pessoa da nossa equipe, e como recordar é viver, decidimos falar o porquê dessas escolhas.


Amanda Mansur:

É a data se aproximando e as lembranças fervendo no imaginário popular. Não tem como fugir, o carnaval começa, continua e termina nas pessoas. Axé ou frevo, é inegável que nessa época a gente não consegue ficar parado, por que independentemente do ritmo nossa memória está impregnada de carnaval. Essa música que escolhi é a cara de Olinda. É impossível para mim pensar em carnaval e não pensar nessa cidade. E também é impossível você passar os dias de folia lá e não ter: chuva, suor e cerveja.


"A gente se embala, se embora, se embola

Só para na porta da igreja

A gente se olha, se beija, se molha

De chuva suor e cerveja."

Márcio Correia

Enquanto eu preparava o texto de divulgação desta matéria com o resto da equipe, passou na minha rua um fusquinha branco, com o som bem alto, tocando frevo. Imediatamente pulei da cadeira e fui correndo olhar pela janela. Passou rápido, mas deixou um sentimento de alegria. Queria uma música que me trouxesse isso e recorri às minhas recordações de carnaval em Garanhuns. A primeira coisa que lembrei foi daqueles jatos de água, feitos de cano. Era certo, todo carnaval meu avô fazia um desses para cada neto. Lembrei também da Garanheta, o carnaval fora de época que tinha lá. E lembrei da Ivete cantando os clássicos da Banda Eva. Minha escolha foi Beleza Rara, esse axé gostoso. Um clássico, que inclusive, só funciona na voz dela.

Hanna Aragão

Meu primeiro carnaval nas ladeira de Olinda foi em 2020. Eu, Duda, Kaká e um agregado, subimos e descemos aquelas ladeiras os 4 dias de carnaval. Não me arrependo de nada,, mas se a gente soubesse que o mundo acabaria dias depois do fim do carnaval, teríamos aproveitado muito mais. Antes mesmo de viajar, fizemos um grupo no whatsapp para combinar tudo, o nome do grupo quem deu foi Duda: "Elefantes de Olinda". Nem eu, nem Kaká, sabíamos que isso era uma música, na verdade, um hino. E me lembro do dia em que estávamos no meio da folia e essa música tocou, Duda olhou pra gente e disse: "O hino Elefantes de Olinda". Hoje, não posso escutar essa música sem lembrar de nós 3, suadas, lindas, cheias de glitter na cara, e felizes sem saber que o mundo acabaria.

Adelvando Queiroz

Sem dúvidas, enquanto pernambucano, o frevo se faz presente no meu imaginário desde que me entendo por gente. Mas Escolhi esse axé por ele me transportar para uma memória em específico. A gente cresce vivenciando o carnaval como a festa mais democrática e plural do nosso país; todos os corpos preocupados apenas em se fazerem felizes. E essa música me leva até a minha infância, lá nos anos 90, e me sinto confortável ao lembrar de como em minha inocência e no apagamento das fronteiras das diferenças a gente se permitia ser feliz. Quem imaginaria que passaríamos um ano sem o furdunço nas ruas? É claro que não somos apenas o país do carnaval, mas se tem uma coisa unânime é que ele faz parte de nós.



Playlist produzida para o Especial de Carnaval.

Comments


bottom of page